Viver Ciências

O Programa Viver Ciências coordenado pela professora Danusa Campos Teixeira dos Santos nasceu da inquietação de educadores do Centro Universitário Una que, dispostos a ajudar a comunidade, resolveram se reunir para dividir conhecimento com estudantes da região do Barreiro. Com estrutura laboratorial e equipe qualificada, a Una – Campus Barreiro acolheu o Programa Viver Ciências como mais um projeto de extensão universitária.

O Programa Viver Ciências teve início em 2014 com 25 estudantes. Durante esses anos o número de estudantes atendidos foi aumentando gradativamente. No primeiro semestre de 2018, a Una recebeu 100 estudantes, da região do Barreiro e de Ibirité, que estão distribuídos em 3 turmas. Tal ampliação foi proporcionada pela parceria com a Fundação Helena Antipoff firmada em agosto de 2015.

O principal objetivo do programa é estimular o interesse de jovens pela ciência, bem como colaborar com a formação cidadã e individual. Para isso, o Programa é composto por dois tipos de oficinas: de Ciências e de Formação Humana. As oficinas apresentam temas variados e não, necessariamente, seguem uma lógica. Por isso, as turmas são bastantes diversificadas, com estudantes da rede estadual e privada, do 9º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio.

Nas oficinas de Ciências, os estudantes desenvolvem atividades de Biologia, Química e Física. São realizados experimentos e, com o auxílio dos educadores, compreendem conceitos que, somente com a explanação teórica, são de difícil compreensão. Entre as oficinas, pode-se destacar temas como: alimentação saudável e planejamento de compras; composição e estrutura do solo; ciclo da água; leis de Newton; energia mecânica, solar e eólica. As oficinas de Formação Humana abordam temas voltados para o desenvolvimento humano. Tais oficinas são de extrema importância para a formação intelectual e profissional dos estudantes. Tem como temas em destaque entre vários outros o autoconhecimento; a relacionamento interpessoal; a concepção de ciências; o mercado de trabalho.

Ao longo do ano, os estudantes são estimulados a participar de feiras de ciências, exposições, congressos, seminários acadêmicos. Nesses eventos, os estudantes apresentam os trabalhos desenvolvidos para diversas pessoas, enriquecendo ainda mais o processo de conhecimento.

A participação nas Oficinas de Ciências do Programa contribuiu para grande desenvolvimento, ajudando a compreender melhor as disciplinas escolares e despertaram seu interesse pela aplicação da ciência ao seu cotidiano. As Oficinas de Formação Humana contribuíram para o autoconhecimento, o desenvolvimento de habilidades e competências essenciais para o trabalho, a reflexão e a aquisição de conhecimentos para seu planejamento profissional. Tanto famílias quanto escola apresentaram retorno positivo sobre a participação dos jovens, apontando não somente mudanças de comportamento, como também aquisição de um novo olhar para a realidade e sua implicação enquanto cidadãos e futuros profissionais.

Quando o programa acaba, é feita uma cerimônia de encerramento que acontece na presença dos responsáveis e dos educadores. Durante a cerimônia, cada estudante recebe do Programa um Certificado de Conclusão. Além do certificado e o amadurecimento apresentado pelos estudantes, os mesmos levam do programa o conhecimento. No contexto em que a Instituição e Comunidade se abrem para o diálogo, mediados pela extensão universitária, inicia-se nestes jovens a possibilidade de viver a ciência, através da produção de sentidos e ampliação de seus horizontes quanto à inserção no ensino superior.