Sessão Clínica de Psicanálise

Considerando a importância da construção de práticas pedagógicas inovadoras, o projeto de extensão ‘’Sessão Clínica de Psicanálise” coordenado pela Professora Dannielle Rezende Starling é proposto como lugar privilegiado de conexão entre teoria e clínica, e de interlocução com outras áreas da organização cultural humana.
O método de construção e de discussão de casos clínicos têm se revelado um potente instrumento de formação, além de melhorar a qualidade clínica do trabalho (VIGANÓ, 2010). Através do debate clínico, os alunos encontram um fórum privilegiado para formalizar, expor, confrontar e avaliar sua prática psicológica e conhecimento teórico.

Preparando o profissional psicólogo para o mercado

Desde o empreendimento freudiano, a teoria psicanalítica e sua técnica vêm sendo aplicadas a várias áreas de atuação do psicólogo, tais como: as políticas públicas, o campo do direito, psicologia hospitalar, saúde mental, entre outros. Isso não significa que a psicanálise se apresente como um saber total que pode dar conta das diferentes manifestações, mas que ela opera a partir de uma ética e de um sistema conceitual que pode oferecer valiosas contribuições nas discussões de uma série de temas ligados à contemporaneidade e aos sintomas de nossa época. Partindo do estudo da obra de Freud, pretende-se estimular o debate não dogmático das ideias psicanalíticas e suas implicações em diferentes contextos, mas, principalmente, suas consequências clínicas.

Esta proposta tem como princípio um desafio presente desde os primórdios da psicanálise: a transmissão do saber da clínica psicanalítica, isto é, sua contribuição para pensar o comportamento e a subjetividade, bem como as especificidades de sua prática na contemporaneidade. Portanto, a “Sessão Clínica de Psicanálise” visa articular a teoria às manifestações tanto clínicas quanto sociais, na tentativa de elaborar um saber que seja atrelado à psicanálise, mas que nos indique a presença da singularidade nos arranjos subjetivos.